Festivais

Festival em Teresina reúne Marco Pereira, Alessandro Penezzi, Elodie Bouny e Daniel Murray

Marco Pereira (crédito: Elisa Gaivota)

Na contramaré da crise, desmonte de orquestras e ataques a atividades artísticas, alguns violonistas empreenderam ao longo do ano dezenas de seminários e recitais dedicados ao instrumento, a maioria em capitais do Sul e Sudeste do país. Eis que agora surge mais um. O Festival de Violão de Teresina já começa robusto, com dez atrações nacionais e regionais, a partir desta sexta-feira (17) até domingo (19), no Palácio da Música (no centro da cidade), com entrada franca.

O recital de abertura na sexta vai ser com a Orquestra de Violões de Teresina, às 19h30, seguido da apresentação de Alessandro Penezzi, que interpretará temas autorais, como Valsa Crioula, Frevaricando, Crop circle, Aniversário, Dayanna e Be a Baden. Um dos maiores virtuoses da atualidade, o violonista paulista também vai mostrar os consagrados arranjos que escreveu para a valsa Quando me Lembro, de Luperce Miranda, e Brasileirinho, de Waldir Azevedo.

Alessandro Penezzi / Divulgação

No sábado, os recitais iniciam às 17 horas, com a Orquestra de Violões de Corrente. Em seguida vem o violonista piauiense Felipe Vilarinho. E às 20h se apresenta a francesa Elodie Bouny, que fará um ciclo de peças autorais, a exemplo de Conversa das Flores, Que Lo Diga La Luna e Anjo, além de obras de compositores argentinos (Juan Falu e Guillermo Rizotto) e os brasileiros Ernesto Nazareth e Sergio Assad.

Daniel Murray, que sobe ao palco às 20h40, vai mostrar ao público as releituras que tem feito para a música de Egberto Gismonti, como Baião Malandro, Frevo e Maracatu, assim como arranjos para o cancioneiro de Tom Jobim, que marcou o CD de estreia. Da própria lavra, Murray tocará ainda temas do CD Autoral, como Samba Pro Zé e Ensimesmada.

Elodie Bouny / Divulgação

Considerado um dos melhores e inventivos violonistas da atual geração, Daniel Murray foi o mais bem pontuado no Concurso de composição Novas 3, com a peça Canção de Dança, que também consta no repertório do show. Por sinal, Elodie Bouny (idealizadora e diretora do concurso) vai tocar junto com Murray para celebrar o lançamento do CD Novas 3, que está saindo da fábrica neste mês e cujas faixas já podem ser ouvidas digitalmente na Rádio Deezer. 

No terceiro de festival, contamos com recitais de vários talentos piauienses, como Fabricio Gallegos Rojas, que se apresenta às 11h, dentro do Projeto Concertos Matinais. A partir das 17h é a vez de Damião Bezerra, seguido por Wellington Torres. Quem encerra o festival é Marco Pereira, com recital às 20h15.

O repertório de Marco mescla peças autorais (algumas delas figuram entre as mais tocadas do repertório violonístico internacional), com arranjos para obras de grandes compositores, como Tom Jobim, Baden Powell, Dorival Caymmi e Dilermando Reis, que teve o centenário de nascimento lembrado em belo tributo de Marco Pereira no CD Dois Destinos, lançado em 2016.

Palestras e master classes

Wellington Torres / Divulgação

Nos períodos da manhã e à tarde, estão agendadas diversas master classes com os músicos do festival e palestras com o luthier boliviano Fabricio Gallegos Rojas e o jornalista e produtor Alessandro Soares, que idealizou e dirige o Acervo Digital do Violão Brasileiro. Ele vai contar a trajetória dessa plataforma, que completa três anos de atividades, mostrar fotos raras e vídeos ainda inéditos, além de falar um pouco sobre o mercado da música instrumental no país e as mídias digitais no país.

Realizado pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Monsenhor Chaves, o Festival de Violão de Teresina tem curadoria e direção artística do violonista piauiense Josué Costa. “Há uma cultura violonística muito forte em Teresina, que hoje respira violão e onde encontramos muitos talentos tocando bem o instrumento. Esse é mais um evento para tentar combater o momento político e cultural que o país vive”.

Para o coordenador do festival, Ravi Annael, o evento facilita o intercâmbio de violonistas do estado e de cidades vizinhas com músicos de experiência internacional, além de fomentar o estudo e o ensino do violão. “Queremos que Teresina se torne palco obrigatório dos festivais de música, especialmente de violão. Já estamos trabalhando para que as próximas edições sejam bem maiores, em atrações e quantidade de dias”, prevê. 

Felipe Vilarinho / Divulgação

Programação

Sexta-feira (17/11/2017)

19h00: Cerimônia de abertura do I Festival de Violão de Teresina

19h30: Recital abertura com a Orquestra de Violões de Teresina

20h15: Recital Alessandro Penezzi

Sábado (18/11/2017)

Palestras

08h00: Luthier Fabricio Gallegos Rojas - para inscritos no Festival – local: Oficina da Palavra;

14h00: Alessandro Soares (Diretor do Acervo do Violão Brasileiro) – local: Palácio da Música;

Recitais (local: Palácio da Música)

17h00: Orquestra de Violões de Corrente

20h00: Elodie Bouny

20h45: Daniel Murray

Daminhão Bezerra

Domingo (19/11/2017)

(Local: Palácio da Música)

08h00: Masterclass com ElodieBouny

11h00: Recital com Felipe Vilarinho - Projeto Concertos Matinais

14h00: Masterclass com Daniel Murray – para inscritos no Festival

17h00: Recital com Damião Bezerra – local: Palácio da Música

17h40: Recital com Wellington Torres – local: Palácio da Música

19:30h: Cerimônia de encerramento do Festival – local: Palácio da Música

20:15h: Recital com Marco Pereira e participação de Elodie Bouny 

VOLTAR

Tags