Shows | Festivais | Cursos, palestras e seminários

Começa nesta quinta-feira (29/11) o Encontro de Alaudistas do Brasil

(Alexandre Ribeiro)

Nesta quinta-feira (29/11) ocorrerá o Encontro de Alaudistas do Brasil, que contará com uma série de palestras, concertos, master classes e mesas redondas realizadas por músicos como Anderson de Lima, Bruno Inácio, Dagma Eid, João Raone, o grupo TriOupe e Alexandre Ribeiro. O evento ocorrerá nas cidades paulistanas de Tatuí, Santo André e São Paulo e será encerrado no domingo (02/11). O principal intuito do encontro é difundir conhecimento sobre os instrumentos pelo país e estimular a pesquisa histórica sobre eles.

O evento começará com um recital de abertura do grupo TriOupe, às 15h, no Conservatório de Tatuí. Já na sexta-feira (30/11), ele será sediado em Santo André, no Tríade Instituto Musical, e terá seu início às 16h com uma palestra de Dagma Eid, seguida por um concerto do grupo TriOupe. No sábado (01/12), o evento volta para o Conservatório de Tatuí e começa logo pela manhã, às 10h. Neste dia será possível assistir a palestra de João Raone, ao concerto e a master class de Anderson de Lima, e ao concerto e master class de Bruno Inácio. No último dia, o encontro começará em Santo André pela manhã, às 10h, com um concerto de João Raone e um ensaio aberto dos Alaudistas do Encontro. O evento será finalizado à tarde com o concerto dos Alaudistas do Encontro, na Catedral da Sé da cidade de São Paulo.

Alexandre Ribeiro

Alexandre Ribeiro é mestrando em performance pela UNICAMP, bacharel em violão, licenciado e pós-graduado em educação musical, é apontado como principal teorbista do país e atua frequentemente na Europa e Américas do norte e sul. Iniciou os estudos musicais na década de 90 com o professor Ivatir Ferreira da Silva em sua cidade natal, Ribeirão Preto, em 2007 passa a se dedicar as dedilhadas antigas. Bolsista do Gitare und Natur em 2009 na Alemanha e do Dartington Internacional Summer School em 2012 na Inglaterra, foi contemplado pelo ProAC, MINC e vencedor de concursos nacionais como CVSL, é professor de violão cujos alunos têm vencido as categorias de base dos principais concursos do país há mais de 6 anos (atualmente leciona no GSM, Colégio Visconde de Porto Seguro e privado). Produziu em 2015 o primeiro cd do grupo Novos Violões. Em 2017 apresenta sua transcrição da BWV 1007, bem como suas transcrições para o duo Scordatura Antiqua na Bach Society Houston. Tem estreado e colaborado em peças contemporâneas escritas para teorba e é responsável pela prestigiada série “Dedilhadas na Sé“.

Anderson de Lima

Anderson de Lima Formado em violão erudito pela Universidade Cruzeiro do Sul, estudou no Conservatório Manuel de Falla em Buenos Aires onde fez seu aperfeiçoamento em instrumentos de cordas dedilhadas antigas sob orientação de Dolores Costoyas. Nos últimos anos apresentou-se em cidades do Brasil e Argentina como integrante de conjuntos de câmara e em concertos solo, entre eles, foi professor na “Feria de la Música de La Rioja” (Argentina), concerto na “Escuela Superior de Música de Neuquén (Argentina)”, apresentou-se no “X Festival de la Asociación Argentina de laúdes y Guitarras Antigas (AALGA)”, “Primero Festival de Música Antigua de Jujuy”. Foi professor e apresentou-se no Primeiro Encontro de Alaudistas de São Paulo e do VI festival Internacional de violão de Natal. Músico convidado no XX e XXI Festival Amazonas de Ópera, apresentou o espetáculo “la sete de cristo” de Bernardo Pasquini e dois oratórios de Giacomo Carissimi “Jonas e Jephte” no Centro Cultural Kirchner e músico convidado para a "IV semana de música antiga" da Unirio e do Conservatório de música barroca de Versalhes.

Bruno Inácio

Natural de Poá - SP, Bruno Inácio dedica-se à música desde 1998. Iniciou seus estudos ao violão erudito e popular, tendo estudado na Escola Municipal de Música de São Paulo e EMESP-Tom Jobim.Em 2010 inicia seus estudos ao alaúde renascentista. Desde então vem se dedicando integralmente a esse instrumento, tendo participado de importantes festivais voltados à área de música antiga, como o Encontro Internacional de Performance Histórica de Tatuí, onde teve aulas com a alaudista Regina Albanez; a Semana da Música Antiga da EMESP em 2012, onde teve aulas com Rafael Bonavita, e também na edição de 2013, onde participou como integrante da Orquestra de Música Antiga da EMESP, sob a regência de Peter Van Heyghen. No mesmo ano participou da IV Semana de Música Antiga da UFMG em Belo-Horizonte, onde teve aulas com Hopkinson Smith, professor da Escola Cantorum Basiliensis, na Suíça. Atualmente estuda com um dos maiores estudiosos do contraponto histórico renascentista e barroco, Giorgio Pacchioni.

Dagma Eid

Violonista especializada em instrumentos de cordas dedilhadas históricas, Mestre em Música pela Universidade de São Paulo, Bacharel em música – instrumento violão – pela Universidade Estadual Paulista e formada em violão pelo Conservatório de Tatuí. Estudou alaúde, arquialaúde, teorba, guitarra barroca e vihuela com Carin Swilling, Regina Albanez, Quito Gato, Dolores Costoyas, Eugène Ferrè, Luciano Contini, David Miller e Hopkinson Smith. Participou como bolsista de festivais e cursos de extensão universitária no Brasil e no exterior, com destaque para o Dartington Summer School, na Inglaterra. Atuou como solista no III Festival de Música Barroca de Assunción, junto com a Orquestra da Universidad del Norte. Premiada em concursos nacionais, realiza intensa atividade na área de música de câmara integrando duetos, trios, cameratas de violões, grupos de música antiga e outras formações. Tem se apresentado em várias cidades do Estado de São Paulo com o Duo Favoriti, único duo brasileiro que utiliza réplicas da guitarra Lacôte de 1829, com quem gravou o Cd “Diversi” e com o TRiOupe, grupo de performance histórica. Atua como palestrante, professora e musicista convidada de vários festivais como: IV Série de Música Antiga de Goiás, Encontro dos alaudistas do Brasil, Encontro de Performance Histórica de Tatuí, Seminário de Violão Vital Medeiros. Atualmente é professora de violão, cordas dedilhadas históricas e música de câmara no Conservatório de Tatuí.

João Raone

Músico, pesquisador e professor natural do Recife, tem se dedicado ao estudo, interpretação e divulgação do violão e dos instrumentos dedilhados antigos que o antecederam, como o alaúde, teorba, guitarra barroca, vihuela, entre outros. Bacharel e mestre pela Universidade Federal da Bahia, estudou sob a orientação do Prof. Mario Ulloa. Fez também um mestrado em Música Antiga na Universidade de Trossingen na Alemanha onde estudou com o Prof. Rolf Lislevand. Tem atuado como solista e camerista em apresentações em várias cidades do Brasil e do exterior. Fez a estreia de diversas obras e já foi solista de várias orquestras como Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica da UFBA, Orquestra de Câmera de Pernambuco, Orquestra Sinfônica do CPM, entre outras. Tem atuado como professor desde 2001. Foi convidado para dar aulas e tocar em vários festivais no país e no exterior como Seminário José Carrion, Seminários Internacionais de Música da UFBA, Festival de Música de Viseu, Festival de Violão de Sergipe, entre outros. Foi professor substituto na Universidade Federal da Bahia e desde 2007 é professor efetivo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde leciona Violão, Música de Câmera e História e Literatura do Instrumento.

TriOupe

Inspirados nas atividades artísticas que reuniam atores, poetas e músicos - as trupes medievais e renascentistas - e na etimologia do francês troupe, estes três músicos - Dagma Eid, Ananda Roda e Ivan Oliveira - se uniram a fim de tocar juntos o vasto repertório para a música de câmara dos séculos XVI e XVII, assim como o repertório solo destinado a cada instrumento de cordas dedilhadas do período. Assim, o Trioupe realiza um programa diversificado e dinâmico explorando as formações solo, em duo e trio. O TriOupe tem se apresentado pelo interior do Estado de SP e está trabalhando no projeto de gravação de seu primeiro álbum.

 

VOLTAR
NIG

Tags